20070713

Noticias da Estação de Santa Maria, Açores

A estação de rastreio de satélites da Agência Espacial Europeia (ESA) na ilha de Santa Maria, Açores, ficará operacional em Outubro, a tempo de acompanhar o lançamento do foguetão «Ariane 5», no início de 2008.
Ricardo Conde, supervisor da Edisoft, uma das três empresas portuguesas a trabalhar na estação, adiantou aos jornalistas que em Agosto será montado o restante equipamento tecnológico, ficando «tudo operacional» em Outubro.
No primeiro de dois dias de visita à ilha de Santa Maria, o Governo Regional visitou o Monte das Flores, o local escolhido para instalar a estação de monotorização e telemetrias de satélites.
No âmbito de um acordo estabelecido no final de 2005 entre Portugal e a ESA, a instalação da estação na ilha de Santa Maria vai acompanhar os lançamentos do foguetão «Ariane 5» e poderá, ainda, ser utilizada para outros lançamentos e para serviços de recepção e envio de dados.
Segundo o responsável, a estação de Santa Maria é uma das doze estações da ESA, distribuídas por vários pontos do globo, que vão monotorizar o lançamento do foguetão «Ariane 5» no início de 2008.
«Passados 18 minutos do lançamento, a equipa sedeada em Santa Maria irá transmitir os dados recolhidos em tempo real para a Guiana Francesa», afirmou Ricardo Conde, sublinhando que a estação açoriana vai acompanhar a «fase crítica» da operação.
A instalação da estação, que vai incluir uma antena com 5,5 metros de diâmetro e equipamentos de ponta distribuídos por três pré-fabricados, representa um investimento de um milhão de euros do Governo Regional.
A ilha de Santa Maria foi considerada a melhor localização no Atlântico para receber a estação da ESA de rastreio para o «Ariane 5», que vai cobrir todo o percurso desde o seu lançamento em Kourou (Guiana Francesa) até à acoplagem na Estação Espacial Internacional (ISS).
(fonte:Lusa)




Já há alguns meses que fomos contactados para iniciar os testes preliminares ainda este ano. Da nossa parte, metam lá o equipamento a trabalhar, que já falamos...

Quem quer ir a Marte?


A Agência Espacial Europeia (ESA) está à procura de candidatos para três simulações de missões em Marte, que vão viver em isolamento durante um período que pode ir de 105 a 520 dias, noticia a Lusa.
Os «astronautas» serão colocados numa série de módulos com um volume total de 550 metros cúbicos, o equivalente a nove contentores, instalados no Instituto russo para os Problemas Biomédicos (IBMP), em Moscovo.
A ESA informou, por ocasião do salão de aeronáutica de Bourget, perto de Paris, que os «astronautas» apenas terão contacto com o exterior através de rádio.
Cada «tripulação» será composta por seis pessoas, duas europeias e quatro russas.
A ESA está à procura de 12 europeus para participarem nestes ensaios.
Ao longo destas missões, destinadas a testar o desafio psicológico que representa uma viagem a Marte, as cobaias serão confrontadas com as situações habituais de um voo de longa duração no espaço, tais como o trabalho, a rotina diárias e experiências.
Para tornar a experiência mais realista, os sinais enviados pelos «astronautas» demorarão 40 minutos a chegar ao Centro de Controlo ou aos membros das suas famílias, o correspondente ao tempo necessário para que uma mensagem transmitida de Marte para a Terra seja recebida.
Um primeiro estudo de 105 dias começará a meio de 2008, seguido de um segundo, e o de 520 dias deverá iniciar-se no final de 2008, início de 2009.
«O processo de selecção é comparável ao dos astronautas da ESA, se bem que neste caso exijamos mais dos factores psicológicos e da resistência ao stress do que do físico», pode ler-se em comunicado.
Os candidatos podem encontrar o formulário de inscrição no
site e deverão receber 120 euros por dia.
Um responsável do IBMP, Viktor Baranov, indica que o seu instituto já recebeu cerca de 150 candidaturas, das quais 19 de mulheres.
(fonte: Lusa)


Isto é a via oficial, quem quizer ir a Marte antes, pode contactar-nos por mail. Temos sempre lugares disponiveis...

20070102

Treino para o Dakar foi feito em Marte


Houve pilotos que foram a Marte, treinar para os rigores do Dakar. Os preços das viagens já estão baratas e o que de antes se fazia em Marrocos pode-se fazer perfeitamente noutro planeta. Até há quem diga que terminar o Dakar é de outro planeta. Pois, é mesmo...

Deixo aqui uma foto que mostra uma sessão de treino nas planicies de Marte, local muito identico ao Sahara Ocidental. Outrora o deserto foi uma zona temperada em tudo diferente à realidade actual. Marte também. Já teve imensos rios (alguns ainda existem) e hoje é o que se vê.

De qualquer maneira o pessoal já saiu do planeta vermelho na ponte espacial que é criada para a altura do fim de ano. Os festejos em Marte atraem milhões de pessoas que normalmente saem do planeta nas horas seguintes. Apesar do ano marciano durar mais de 2 anos terrestres, o fim de ano que se comemora lá é este último. Somos nós que ornanizamos e não os Marcianos...

Despeço-me desejando a todos um feliz ano da 2007...

20061212

Há rios em Marte

... e também foi criada a Federação Marciana de Rafting e Canoagem (FeMaRaCa). Este ano foi anormalmente seco para aquelas bandas e para inaugurar as actividades da Federação resolvemos criar um rio artificial. Usamos um desfiladeiro que normalmente tem um pequeno ribeiro, que por acaso fica perto dos meus terrenos. Esta iniciativa nem foi muito divulgada já que não tinhamos garantias que o rio ficasse em estado aceitável. Azar dos azares é que alguem na Terra fotografou o rio em pleno caudal. Aqui fica a foto oficial da Nasa.

Por outro lado, eu tenho andado um pouco afastado deste blog. Além das contínuas ameaças que fui alvo nos ultimos meses, por parte das 'entidades do costume' sempre interessadas em ocultar a verdade, também tenho andado quase sempre em viagem o que dificulta o contacto com a rede. De qualquer maneira já em 2007 as actualizações frequentes vão voltar. Até já...

20060827

Plutão afinal não é planeta


O que não é uma grande novidade para nós. Era a pior escala de todas, a pior viagem de todas, enfim finalmente alguém nos ouviu...

A despromoção de planeta a corpo celeste tem sido noticiada por esse mundo fora. Do que se tem falado pouco é dos protestos que isto está a gerar junto dos Plutónicos. 'Já não basta estarmos longe ainda nos querem relegar para habitantes dum corpo celeste' dizem. A despromoção implica retirar os poderes ao governo local, que por acaso tem boa aceitação por parte da generalidade dos Plutónicos, e dá-los ao governo de Neptuno. Isto além de ser algo a que eles sempre se manifestaram contra, coloca-os numa posição pouco vantajosa face a luas de Neptuno como Tritão ou a pequena mas super-povoada Larissa.

Isto é uma polémica que ainda agora começou. Nós estamos solidarios com o povo Plutónico. Apesar de eu não gostar do sitio, acho que aquilo é o pior destino que nos pode calhar. Por esse lado estou contente que nos tenha sido retirado, mas para mim Plutão vai continuar sempre a ser um Planeta...

20060627

E finalmente voltei...


Primeiro foi o XII Congresso galáctico, depois foi o 9/11 + NEO-CON Agenda. Mas que raio de nome é este para dar a uma conferência? Resumindo foi um encontro de pessoas que partilham uma ideia. Que a história oficial acerca do 11 de Setembro não é verdadeira. Que, na melhor das hipóteses, houve conhecimento e ocultação de factos por parte das entidades oficiais. Ou que, no pior dos cenários, houve mesmo envolvimento do governo americano nos (supostos) atentados com o intuito de provocar o inicio de uma guerra à escala global.

Este assunto foi falado no Tibete durante o congresso e foi inclusivamente trazido à agenda pela representação Norte Americana que contava com o conhecido actor Charlie Sheen. Não sabia que o Charlie era também um piloto galáctico. Na realidade sabemos muito pouco acerca uns dos outros e nestes congressos temos por vezes algumas surpresas. Bem, eu sou defensor, de facto, da teoria de envolvimento do estado Norte Americano nos atentados do 11 de Setembro. Fui convidado pelo próprio Charlie Sheen a participar no encontro 9/11 + NEO-CON Agenda que se realizou no passado fim-de-semana em Los Angeles no hotel Sheraton Downtown LA. Foi-me só pedido para até lá não falar da minha participação.

Nas palavras do Charlie, "19 amadores armados de facas tomando conta de quatro aviões comerciais e atingindo 75% dos seus alvos, soa-me a teoria da conspiração. E levanta uma série de questões." Muitas questões mesmo... É também estranho que desde o primeiro minuto as autoridades dos Estados Unidos soubessem a identidade de todos os supostos terroristas a bordo dos aviões, e sem a mais pequena dúvida... "Tenham a santa paciência e por favor não percam mais tempo a insultar a inteligência do resto do mundo". E foi com estas palavras que terminei a a minha participação na conferência deste último fim-de-semana. A meu pedido não há registo oficial da minha presença...

20060515

XII Congresso Galáctico


Sempre em sítios especiais. Desta vez vai ser em Lhasa a antiga Cidade Proíbida, capital do Tibete. O último congresso foi à 12 anos e foi em Titan, uma lua de Saturno. Mais quente que Mimas e com as temperaturas médias à sua superficie a chegarem a uns jeitosos -178ºC.

Desta vez foi escolhida a Terra para receber o XII Congresso Galáctico. Durante cerca de uma semana vamo-nos reunir numa grande sala no Palácio Potala que não está disponivel a visitas do público e que o governo Chinês disponibilizou. Em Tibetano esta sala tem o conveniente nome Sala dos Visitantes do Exterior.

Há cerca de 50 anos que a China ocupa o Tibete, outrora governada política e espiritualmente pelo Dalai Lama. Hoje exilado em Darhamsala (Índia) não pode presidir aos trabalhos do Congresso. A presidência é sua por direito e ainda se vai tentar fazer uma ligação video via IP com Darhamsala para que, nos momentos mais importantes, SS o Dalai Lama possa acompanhar os trabalhos. É claro que isto está a ser mantido em segredo e estou certo que niguém que leia este blog vá 'dar com a lingua nos dentes' às autoridades chinesas. De qualquer maneira ninguém vai acreditar na vossa história absurda o que é óptimo para manter este tipo de segredos em segredo.

Vou para o Tibete que se faz tarde... Até mais logo.

20060502

NASA mete água


'E é habitual fazê-lo' segundo os responsaveis. É, segundo querem fazer saber, uma forma de treinar as missões no espaço. Nós, que estamos a viajar constantemente para zonas longínquas do nosso sistema solar, sabemos bem que é uma boa forma de treinar sim senhor, mas era bem mais barato irem connosco num dos nossos voos discretos pela galáxia.

Não é que a ESA não faça também treinos debaixo de água. Fá-los inclusivé nos Açores, daí as frequantes deslocações do JMA, co-escritor deste blog, àquele arquipélago. A principal diferença da ESA e da NASA no capitulo da formação de astronautas é precisamente a utilização, também, das nossas viagens para o treino avançado de pilotos.

Esta imagem que aqui deixo foi tirada no local de treino debaixo de água da NASA. Não fazemos ideia do que significa o coelho, mas podemos especular... Será a versão espacial (molhada neste caso) de tirar coelhos da cartola. É uma cartola futurística, mas andar no cosmos não é? Será que para ser piloto destes buggys lunares basta ser coelho? Ou é preciso ser coelho? Será um enigma do género 'Código de Da Vinci' e tem a ver com a espantosa capacidade reprodutora dos coelhos e um desejo antigo de colonizar outros mundos? Ou a foto terá sido tirada na Páscoa? Mas debaixo de água? Que ovos o coelho escondeu? De Taínha?

É um mistério, e se calhar a verdade nunca vai ser revelada...

20060326

Marte está a preço de saldo


Cheguei hoje de Marte. Desta vez fui lá assinar uma escritura. Quem disse que os piores e mais lentos processos burocráticos são os Portugueses? Alguém que nunca foi a Marte, de certeza. Os nossos são sem dúvida os piores do mundo, mas comparados com os marcianos são fantásticos. Os meus papeis deram entrada no CNM (Cartório Notarial de Marte, só têm um mesmo) em 2003 e só agora se concretizou a escritura. A Conservatória do Registo Predial de Marte leva cerca de 6 meses a emitir a certidão para se poder marcar a escritura. No ranking do Sistema Solar é a pior, seguida de muito perto pela Conservatória do Registo Predial de Loures. Sim, a nossa Loures, aqui ao lado de Lisboa que já recebeu varios prémios internacionais de 'O pior serviço da Terra' e detem o record de receber este prémio 6 vezes seguidas... Um motivo de orgulho, sem dúvida.

Mas chega de desabafo. Comprei um terreno em Marte para construir lá uma casita para passar as minhas Férias. Mas com tantos planetas que existem, porquê Marte? É simples. Em primeiro lugar é a um saltinho daqui. Segundo, ainda não chegou lá a gripe das aves. Também ainda não chegaram lá aves a não ser os frangos congelados e os perús para o Natal. Em terceiro, a vista em quase toda a parte é muito desafogada e os preços do metro quadrado são muito competitivos. Comprei 120 hectares por pouco mais de 5000 euros. Deixo-vos uma foto que tirei no terreno.

20060209

Finalmente posso falar

Mais um planetazito, fora do sistema solar.


Esta é a imagem (fotografias nem vê-las) que estamos autorizados a revelar. Aqui que ninguém nos ouve, posso-vos dizer que não está nada parecida, mas "segurança oblige".

Embora a noticia apareça como recente, é o que tenho estado a fazer nas últimas semanas, o que me deslocou para fora do sistema solar.

OGLE-2005-BLG-390Lb é o nome dele e naturalmente não tem ainda inter-internet( na verdade tem mas não na forma em que a conhecemos), pelo que não tem sido possível dar noticias.
O "non disclousure agreament" do meu contrato impedia-me de relatar o que fosse sobre ele, até a noticia ser tornada pública. Entre outras coisas, existia algum receio de influência no resultado eleitoral de Janeiro último.

Espero não fazer nada de muito undercover nos próximos tempos, de modo a poder disfrutar das coisas boas cá do burgo. Oito semanas é muito tempo a comer refeições em comprimidos e a beber água em pó.
Ah pois é, lá ainda não há nada de nada. Levei eu o primeiro contador da água, e foi contrato de obra.

Inté
JMA

Porta de entrada na Terra


Muita gente que me contacta por mail pergunta como é que se faz para entrar na Terra vindo do espaço. O método de reentrada utilizado pelo Space Shuttle não necessita de ser cumprido pelas nossas naves, mas não podemos entrar em qualquer ponto da atmosfera Terrestre. Em planetas com atmosfera os melhores pontos de entrada são os pólos. Na Terra também, mas a maioria de nós utiliza o sul, sobre a Antártida. Há várias razões para isso. Não está tão congestionada nas horas de ponta, as taxas de sobrevoo são mais baixas e já ninguém liga ao buraco no Ozono. O controlo é prestado pela SpaceCD que significa Space Control and Defence. Apesar dos radares e outro equipamento estar localizado na base de McMurdo, que é mantida pelos EUA, o controle é feito a partir da Flórida, onde se situa a sede da NASA e o centro de controlo da SpaceCD que fica no ultra-secreto piso -18 do J.F.Kennedy Space Center. Em caso de falha nos datalinks com a base de McMurdo o controlo passa a ser feito na base de Scott que fica a 3 quilómetros e é mantida pelos Neozelandeses. Isto é uma grande confusão e já me aconteceu em dada altura estar em holding mais de 6 horas, quase o dobro do tempo que demora a vir da Lua...

20060128

Tanta energia desperdiçada na Terra...

O Senado
Uma das minhas mais recentes viagens levou-me a um planeta muito semelhante à Terra. Há algumas décadas os seus habitantes viveram uma terrivel crise energética que os politicos não conseguiram resolver por mais politicas que tentassem aplicar.
O povo, cansado de fazer sacrificios em nome duma solução que cada vez parecia mais distante, resolveu a crise à sua maneira.
Com tanto político a meter água, foi simples aproveitá-la... Criaram grandes centrais para aproveitar a energia das ondas de tal água. A energia das marés também pode ser aproveitada. Colocaram políticos em algumas barragens para poderem meter água à vontade para depois ser aproveitada em hidroeléctricas.
Mas a espantosa capacidade de meter água dos políticos era infelizmente limitada. Então alguém sugeriu que se cremassem os políticos secos e se aproveitasse a energia libertada em termoeléctricas.
Esta original forma de Energia foi baptizada de Energia Politica e parecia ser um recurso inesgotável. As estatísticas mostraram que por cada politico cremado existiam 3 políticos no activo (líquido) apadrinhados por ele.
Ficou assim resolvida uma crise energética onde o recurso a formas alternativas de energia se mostrou essencial.

Boas Viagens

20060104

Cuidado com o lixo espacial

Olá amigos!!
Não é novidade para ninguém, pelo menos para quem passou pelo treino necessário para ser piloto galáctico. Nunca se deve deixar nada solto no exterior das naves nem muito menos deitar nada fora pelas air-locks. Quando voltava da Lua em Novembro soltou-se um grampo de segurança do painel exterior de combustivel da minha nave. Não liguei muito ao caso, nem soube exactamente ao certo onde foi. Saiu ontem uma notícia nos meios de comunicação oficiais da NASA de que tinha sido observado o embate de um meteorito com a Lua a 7 de Novembro, precisamente o dia em que estive na Feira de Copérnico. A cratera resultante foi de 3 metros e de 40 cm de profundidade. Bate certo com o meu regresso e as dimensões são possiveis de ter sido feitas com o grampo de 30 gramas. Nunca é demais avisar: Cuidado com o que deixam no exterior das naves. Nunca se sabe onde e quem pode acertar.

No comunicado de imprensa, Rob Suggs afirma que a NASA pretende voltar à lua a 2020 e que é preciso determinar com que frequência caem meteoritos na Lua. Mais campanha de desinformação sobre as nossas viagens espaciais. Notícia Público.

20051231

Bom Ano de 2006

Times Square
Neste dia em que toda a gente se prepara para receber o ano novo, não queria deixar de desejar a todos um feliz ano de 2006. Na realidade não vai haver uma descontinuidade no espaço-tempo e o que é hoje vai continuar a ser amanhã. Mas é sempre hábito desta altura alimentar a ilusão de que já a partir do próximo nascer do sol o mundo será melhor e todos os nossos desejos, que não realizamos no ano que agora termina, vão ser realizados no que agora começa.

São precisamente estes os votos deste blog a todos os que nos visitam. Bom Ano de 2006!

20051230

E só vendes disso?

Já me provaste? Tenho deliciosas pipocas para ti...
Regressei do espaço há dias. Vim da nossa base de operações para Lisboa e ao desembarcar no Aeroporto de Lisboa deparei com uma máquina de venda automática de pipocas. Até aqui tudo bem, mas esta máquina é especial. De dois em dois minutos fala. Imaginem uma voz de linha erótica a dizer: "Já me provaste? Tenho deliciosas pipocas para ti..."

Cheguei perto das duas da manhã, hora local, altura em que o Aeroporto está quase deserto o que aumenta mais o impacto duma frase destas dida pela senhora com a entoação quente que ela tem. Deste género só me lembro duma máquina de venda de preservativos em Úrano, mas durou pouco...

"Já me provaste? Tenho deliciosas pipocas para ti..." E só vendes disso?

20051224

Feliz Natal


Ainda em viagem pela galáxia, não podia deixar de desejar a todos os muitos milhões* de leitores deste blog, um Feliz Natal e um ano de 2006 cheio de viagens por esse espaço fora... ou não...



*números só referentes ao nosso sistema solar...

20051216

Nunca mais faço compras de Natal!

Anda um gajo a tentar imbuir-se do espírito Natalício e depois leva com coisas destas...
Eu explico: Há duas semanas, numa folga entre duas missões a Marte, resolvi dar um pulo a 'b', planeta que orbita a estrela TAO Boo (HD120136/HIP67275 para os puristas) e que fica a uns míseros 50 anos luz da terra. De acordo com o holosite do planeta, é lá que fica situado o maior centro comercial da galáxia, onde se pode encontrar de tudo, desde teletransportadores pessoais a chocolates de Betelgeuse, passando por topázios de Neptuno e presunto 'Buraco-Negro'.
O que eles não dizem, é que em alturas de compras 'forçadas' (Natal, dia da Mãe, dia do Pai, dia dos Namorados, dia dos Avós, dia da Mulher, dia da Criança, dia do 'primo que casou com uma moça de Calisto e emigrou para Neptuno para fugir à tropa'), meia galáxia se desloca até 'b', infectada com o vírus do consumismo.
Enquanto a localização do planeta era top-secret (inclusivamente considerado assunto tabu, daí o nome da estrela), só a malta das viagens interplanetárias é que às compras a 'b', onde na altura apenas havia umas simpáticas e acolhedoras lojinhas de comércio tradicional. A partir do momento em que resolveram construir aquele mamarracho com 7.314 lojas e dar cabo do comércio tradicional, instalou-se o caos...
Mas voltando à minha história: Depois de andar mais de 3 horas a orbitar o planeta para arranjar lugar (parece mentira que um centro comercial tão grande só tenha 250.000 lugares de estacionamento) e quase ter que andar à porrada com um chico-esperto que quis estacionar no sítio que eu já tinha marcado, lá consegui entrar no shopping. A muito custo conseguia-me deslocar pelos corredores do centro comercial para ir entrando nas lojas e fazer as minhas compras natalícias. Ao fim de 10 horas tinha finalmente completado a minha lista, para além de mais 4 sacos de coisas que não pensava comprar mas às quais não resisti (estes sítios têm este efeito em mim...).
Mas o pior estava reservado para o fim, nao só estive 3 horas na fila para pagar o parque, que ainda por cima foi caro como tudo (por este preço tinha comprado mais um iGPS para o meu cunhado mais velho), como ainda tive que gramar com 5 horas para conseguir saír da órbita do planeta e rumar à Terra.
A partir de agora, e como o Natal é quando um homem quiser, para mim acabou-se. Estou farto!!

20051211

O pessoal tem andado calado


Muitos poderão pensar que a malta se perdeu num qualquer buraco negro. De facto já há vários dias que nenhum relato aparece. Convém aqui esclarecer que a maior parte do que aqui é escrito é absolutamente secreto e as autoridades dos vários sistemas que visitamos regularmente querem a todo o custo manter este estado de coisas. Mas há casos de pessoal que consegue vencer o sistema e tornar algumas coisas mais conhecidas. É o caso do George Lucas, qua já anda nestas coisas do espaço há quase tanto tempo como nós. A maior parte da obra deste cineasta é baseada em factos reais. Uma das raras excepções é o Howard, the duck. A série de culto Star Wars é quase toda ela pura verdade. Apenas alguns nomes foram alterados por questões de privacidade mas na essência é tudo verdadeiro. Fazem-se depois uns documentários do tipo Make off para esconder a realidade das viagens espaciais. O proprio Steven Spielberg, depois de ter feito o ET foi ameaçado e largou a ficção científica apesar de continuar a trabalhar nos bastidores ( e no espaço, também) com o George. A desinformação presente nos filmes Star Wars começa logo nos primeiros segundos. A long time ago in a galaxy far, far away... 3 mentiras. Nem foi há muito tempo, nem foi noutra galáxia, e nem é muito longe... Brevemente vou fazer umas férias no sistema onde parte dos exteriores foram filmados e vou tirar umas fotos. Aquilo é razoavelmente perto, apenas a 50 anos luz do Sol, alguns dias de viagem para as naves dos dias de hoje...

20051122

De regresso...

Marduk visto da Ninurta
Ainda não tinha feito dois dias que tinha vindo de Vénus e recebi um telefonema estranho. Era o Secretário-Geral das GNU (Galactic Nations United) que precisava de contratar os meus serviços. Aparentemente a minha nave era a única disponivel para a viagem que eles tinham que fazer. Transporte de uma delegação diplomática a Ninurta, um planeta do sistema Beta Hydri (HD2151) a 24.38 anos-luz do Sol. A foto foi tirada na primeira fase da ninurtagem com o curioso planeta Marduk em fundo. Ninurta é uma lua de Marduk. Realmente, é um saltinho para uma máquina como a minha mas ainda assim a viagem dura 2 dias. A missão foi mantida totalmente secreta até ao nosso regresso à Terra. Durante toda a viagem as comunicações foram monitorizadas pelo pessoal militar que acompanhou os diplomatas e que bloqueou todo o acesso à net galactica. Os Ninurtanos estavam em pé de guerra por causa do Feyjok, uma espécie de legume produzido em massa naquele planeta e exportado para todo o lado da Galáxia. Também se pode encontrar na Terra e muitas vezes é confundido com feijão preto, mas o seu aroma é ligeiramente diferente.

Parece que o intermediario na venda galáctica do feijok faliu e um comerciante local quis tomar as rédeas do negócio. Contratou mão de obra barata no planeta vizinho de Vimana, e deixou os Ninurtanos sem trabalho. Estes atacaram os Vimanos que, mais bem preparados dizimaram os rebeldes locais. Para travar a guerra civil entrou em campo a GNU e em algumas horas conseguiu por termo ao conflito. Todo o planeta foi dividido em lotes numerados. Os números impares foram dados a explorar aos Ninurtanos e os pares aos Vimanos. O comércio e distribuição do Feijok fica tutelado pela GNU, sendo a repartição dos lucros um segredo entre as partes.

Algo me diz que ainda vou ter que voltar a Ninurta quando começar o transporte do Feyjok...

20051118

Neptuno é uma boa escala

As minhas desculpas pela falta de relatos mas andei algum tempo por fora, numa missão intercalar a Neptuno e só cheguei ontem. O voo em si não é digno de grande referência, com excepção da final na aproximação para a 'aneptunagem' , por passar perto da Great Dark Spot (uma tempestade semelhante à Great Red Spot de Júpiter, mas com metade do tamanho e ventos na ordem nos 600kts). Felizmente que o recém-instalado NAILS (Neptune Automatic Instrument Landing System) deu conta do recado e conseguiu pousar a nave sem grandes sobressaltos para a carga que transportava (500 cabeças de gado, a pedido de um fazendeiro tresloucado que resolveu instalar uma quinta em Neptuno, por dizerem que as vacas produzem mais neste ambiente específico...)
Entretanto, aproveitando o período de descanso, dei um salto até Thalassa, uma das 4 luas interiores de Neptuno, com apenas 80km de diâmetro mas famosa pelos seus tratamentos de talassoterapia. A rápida órbita desta lua em redor de Neptuno (dá uma volta em 7h30) e os químicos que compõem o solo tornam os tratamentos uma verdadeira delícia, melhores que em muitos sítios do nosso planeta.
Apesar de só ter um hotel (que ocupa, 40% da área de Thalassa, o restante é para o tratamento da água), este está muito bem equipado, sendo o único senão a fraca cobertura das redes 4G e iGPRS (a iGSM não é má, mas é muito lenta e tem muitos cortes).
Mesmo assim, recomendo a quem esteja de passagem por Neptuno e já esteja farto de contemplar os seus escuros anéis.

20051111

A política em Alpha-Centauri

Por dos Sóis em Chiron
Da viagem que fiz a Vénus nestes últimos dias não há muito a dizer. Correu tudo bem e o tempo estava bom. De regresso passei pela Lua e não resisti a uns secretos de Porco Preto (do lado negro) bem regados com um vintage marciano.

Mas o que queria contar hoje é de outra viagem. Fui há tempos a Alpha-Centauri, o sistema mais perto do nosso Sol. Um sistema binário... perdão, triplo, mas a Próxima Centauri (que por acaso está mais perto do Sol) não tem planetas. Alpha Centauri A e B formam assim um sistema binário cuja Capital está em Chiron (na foto em cima, tirada ao por dos sóis), um planeta muito parecido com a Terra. Os seus habitantes chamam-se Zeriunos e a sua lingua é muito complicada de entender o que já tem provocado alguns incidentes diplomáticos. O seu sistema politico é que é verdadeiramente revolucionário e alvo que inúmeros estudos que já fizeram correr muita tinta por essa Galáxia fora. Chamaram-lhe Carocoroismo e basicamente consiste em tomar todas as decisões através de uma moeda no sistema Cara ou Coroa... Todos os habitantes têm uma moeda especial para tomarem as decisões do dia-a-dia, mas a moeda constitucionalmente aceite como decisora política está bem guardada e só pode ser utilizada pelo Presidente dos Zeriunos, que também é escolhido segundo este método numa mega-operação carocoroista que chega a durar um mês (que em Chiron dura 38 dias terrestres).

Com este sistema, à primeira vista, obstruso, os Zeriunos prosperaram. Claro que também existe crime, corrupção, delinquência, etc. Mas como nos tribunais as sentenças são tomadas na base do carocoroismo existe 50% de probabilidade dos criminosos serem condenados. E esta percentagem é muito superior à praticada na Terra. Há muito para lá do nosso sistema solar...

20051110

Viver na lua não é fácil...

A semana passada aproveitei e fui passar uns dias a Marte, porque o vício do ski não me deixa estar mais de um mês sem fazer uma escapada até às pistas do Monte Olimpo.
Arranjei um daqueles pacotes especiais que incluem 3 noites de hotel, meia pensão, forfait e transferes espaçódromo/hotel. Só não inclui o equipamento, mas também não é preciso, porque felizmente o fui comprando aos poucos (isto de piloto espacial não paga assim tão bem como as pessoas julgam).
Recomendo vivamente, a quem gostar de ski, tirar 4 diazitos e ir a Marte disfrutar das excelentes pistas e óptima gastromonia da zona do Monte (a 'Sopa de meteorito' é muito boa e recomendo o 'Bodião marciano guisado na Furna').
No dia de regresso, estava eu no espaçódromo da Bacia de Hellas, quando, pelos hologramas informativos espalhados por todo o terminal surge um aviso dizendo que, por razões operacionais, o voo Marte-Terra das 34:80HS (Hora Solar) estava com cerca de 3 dias de atraso...
Razões operacionais o tanas!!!! É sempre a mesma coisa!! Este voo faz parte de uma rotação Terra-Marte-Fobos-Deimos-Fobos-Marte-Terra, sendo o voo em que eu supostamente iria, o último da sequência.
Acontece que, nestas luas mais pequenas, as condições não são as melhores, nomeadamente em termos de tele-radio-ajudas, o que limita bastante a operação de e para esses lugares (a minha nave devia estar presa em Fobos ou Deimos).
A maior parte destas luas não tem GAGS (Gravitational Awareness Guidance System) e cada vez que as condições gravitacionais se alteram (seja pela passagem de um cometa, seja devido à interferência da cintura de asteróides), não há tele-radio-ajuda nas saídas ou chegadas, obrigando o espaçódromo a entrar em UGO (Unstable Gravity Operations) - estes procedimentos limitam o número de movimentos e normalmente significa um ou dois dias de atraso nos voos.
Já era tempo de equiparem esses espaçódromos com os equipamentos adequados. É que a malta da SSAA (Solar System Aerospace Administration) pensa que "ah! o Sistema Solar são os 9 planetas, o resto é paisagem..." e estão-se nas tintas para as luas e afins! Morassem eles em Deimos ou em Tétis, com apenas 3 ligações diárias aos respectivos planetas e que quando as condições pioram chegam a ficar meses sem voos, para ver se os espaçódromos não estavam já todos equipados com GAGS cat VI...
Voltando ao terminal e à minha espera pelo voo, lá consegui desenrascar um lugar de cockpit num cargueiro da MarEx e chegar à Terra apenas com meio dia de atraso. Mas não sem antes ter deixado uma reclamação dirigida à SSAA e às autoridades aeroespaciais de Marte. Não há pachorra...

Encontros Imediatos

Espaçoporto Figo Seco
Fui hoje ao espaçoporto fazer o meu plano de voo para Vénus. Sim, só vou amanhã, mas os planos de voo espaciais tem que ser preenchidos com um dia de antecedência. Estou a entrar na espaçogare e dou de caras com a Doris D. Kornis, mulher do meu amigo Sebastião. Já cá faltavas tu, pensei.

- Que surpresa, por aqui Doris?
- Sim, vamos agora de férias. Para Orion, sabias?
Não, que surpresa... - Sim, já me tinhas dito - Disse sorrindo - Boa viagem e divirtam-se !

O Sebastião é bom tipo mas a mulher é meio tontinha. Ela foi piloto e começou a carreira numa empresa que tinha um bom potencial de crescimento. Chamava-se Pilotos Espaciais Interplanetários Do Oeste do Sistema e no mercado altamente competitivo que são as companhias espaciais não conseguiu mais que um contrato para recolha de lixos espaciais. Até é um serviço altamente especializado mas mal remunerado. Apesar de não faltar serviço, a empresa acabou por falir e lançar muitos pilotos no desemprego. A maioria acabou por conseguir colocação noutros serviços, mas a Doris safou-se às custas do Sebastião.

Houve até o caso do Antunis Android que abriu uma loja de bujigangas numa lua de Úrano, Ariel ou Umbriel, não tenho a certeza. Ele era piloto desde 14.11.92 e depois disto nem nas Forças Armadas do Espaço o quiseram de volta. Já agora se forem para os lados de Úrano, dêem uma saltada à CAOS, que é o nome da loja do Antunis e perguntem-lhe pelas novidades. Há sempre qualquer coisa interessante para oferecer aos amigos. Da última vez que lá fui comprei uns despertadores destes: http://www.joe-ks.com/archives_jun2005/CandleAlarm.jpg Com a quadra Natalícia que se aproxima, já tenho prendas para os meus amigos mais chegados e garantia de uma boa gargalhada ao abrir as prendas. Até mais logo...

20051108

Por falar em STCs...

Por falar em STCs, lembro-me de uma vez que, durante uma folga na Terra, resolvi ir até ao EspaçoClube e alugar uma daquelas velhinhas naves que só atingem duas vezes e meia a velocidade da luz, vêm equipadas apenas com um iGPS e os tanques standard dão para chegar até à Próxima de Centauro (com vento solar favorável).
Como a próxima missão a Marte era só dali a um mês e meio, não tinha problemas de estourar com o limite mensal de horas e ter os gajos da Comissão Planetária de Aerospaço Civil à perna, resolvi dar um pulo até Plutão, para trazer umas caixitas de vinho.

Após sair da órbita terrestre, tentei contactar o SFMP (Space Filed Mission Plan), mas não sei se por causa da sombra da Lua, se por causa da tempestade solar, só passado Marte é que consegui o contacto. Plano metido, deixa lá contactar a frequencia IPC (Inner Planets Control). Escusado será dizer que estive 10 minutos à espera do código transponder, porque o SFMP não tinha dado entrada imediata do meu Mission Plan. Se com uns míseros 3.500 voos simultâneos é assim, imagino num dia em que todos os CFSs (Co-pilotos de Fim-de-Semana) resolvem tirar o pó estelar às naves...

Finalmente lá me autorizaram numa rota directa a Plutão a 2 vlux (velocidade da luz no S.I. - Sistema Interplanetário), o que não foi mau, e permitiu poupar os turbo-nucleo-propulsores (eu sei, estes 'chassos' velhos deviam fazer o upgrade para os plasmo-magneto-propulsores, mas o EspaçoClube é pobrezinho).
Lá consegui meter 6 caixas de vinho dentro da nave, o que não foi fácil, devido às alterações que este peso faz à posição do centro de gravidade (a descolagem foi conseguida após beb... deitar fora meia caixa, por causa do MTOM - Maximum Take-Off Mass).

Com esta brincadeira toda, já estava atrasado e arriscava-me a chegar à Terra depois da Lua estar em oposição ao Sol, o que me impediria de aterrar no EspaçoClube e me obrigaria a divergir para o Espaçódromo Interplanetário de Siac-Sac e ter que cravar uma boleia para casa (o meu auto-pod tinha ficado no parque do EspaçoClube). Ainda por cima, o STC de serviço na frequencia do IPC não me deixou ir directo à Terra mas sim via Júpiter e pela cintura de asteróides até à Terra. Que chatice!!! Tudo por causa do tráfego para Úrano, que está em Verão IASTA (Interplanetary Association of Space Travel Agencies)...

Tive que pedir 2.5 vlux ao STC, prego a fundo, para chegar à Terra antes da hora, o que consegui por menos de 5 minutos. Depois tive que ouvir o responsável da manutenção, que o reactor do propulsor direito isto, que as válvulas de by-pass do filtro do propulsor direito aquilo, bla bla bla... Eu sei que ele tem razão, mas não me estava a apetecer ter que ir para Siac-Sac e pagar as taxas de aterragem e estacionamento, para além de ter que esperar por boleia.

Da próxima já sei, ou fico em Plutão para o dia seguinte, ou limito a volta até Saturno, que sempre se pode aproveitar para dar umas voltinhas nos anéis (ou dar um pulo a Calypso e mandar uns shots goela abaixo)...

Maldito iGPS


O 2003UB313 (nome de código para o 10º planeta do nosso sistema solar, já que o verdadeiro nome é secreto) está, não sei se sabem, em "saldos imobiliários". É pouco conhecido e, convenhamos, é um pouco afastado. Ao que parece, compra-se lá um espaçozito para uma casa por preços muito em conta; está até no inicio da construção um condominio fechado mas, para viver amontoado ia para Vénus.

Acontece que este fim de semana resolvi dar lá um salto. Agarrei na nave, inspecção exterior, combustível, superfícies transparentes de interface visual com o exterior (vulgo vidros) limpas, plano de voo carregado no iGPS (interplanetary Global Positioning System) portátil, etc, tudo a correr de feição.

O iGPS, baseado no GPS tradicional, permite a recepção simultanea de 25 pulsars, garantindo um HDOP e VDOP de 0,01 anos-luz e um TDOP de 2,5 horas. Gosto de o usar nestes voos de GA, para variar dos sofisticados sistemas das naves de "plástico".

Ora bem, ia eu já para lá de Neptuno quando o iGPS começou a parvar. Penso que teve qualquer coisa a ver com a película anti-meteoro das superfícies transparentes de interface visual com o exterior e com o ter perdido a antena exterior.

Certo é que, oh vergonha, perdi-me.


Também não é simples mas...

Escusado é dizer que naquela zona, sem referências visuais, e, pelas minhas contas, bem pertinho de Plutão, não convinha nada andar perdido.

Como um problema nunca vem só, não consegui contactar o STC (Space Traffic Control) para pedir vectores sectoriais. Antes que azedasse mais, lá consegui dar meia volta e, um pouco às cegas lá dei com o caminho de casa.

Uma coisa é certa, sem o planeamento em papel é que nunca mais (estamos fartinhos de saber, mas só acontece aos outros não é...).

Tive pena, mas hei-de lá voltar na primeira oportunidade.

20051107

Não há pachorra para Feiras


Realmente ao Domingo é impossivel ir a algum lado. A Feira de Copérnico na cratera com o mesmo nome estava apinhada de gente de todo o lado do Sistema Solar. Encontrei um amigo de longa data num dos mais de 7000 bares existentes na zona de restauração. Conheci o Sebastião D. Kornis numa das minhas estadas em Saturno, mais concretamente em Io. O Sebastião estava a comer umas farturas com a mulher, a Doris. (Aqui entre nós, a mulher é parvinha, não sei o que ele viu nela mas ele lá saberá). Juntei-me a eles e pedi uma TitanBock que para quem não sabe, é das melhores cervejas do Universo conhecido. Pergunta-me ela:

- Não devias estar em Marte?
- Vou para o mês que vem, porquê?
- Nada, nada. Eu e o Sebastião vamos passar umas férias com tudo pago a Orion.
Já cá faltava o comentário típico de 'onde vou com o Sebastião'...
- Isso é muito longe. Prefiro passar férias cá pelo sistema Solar - disse eu.
- São só uns miseros 1300 anos luz daqui. Temos de ir fazer a rodagem à ChevroStar nova que o Sebastião me comprou.

Epá, não tenho pachorra para gente fútil como a Doris. 1300 anos luz o tanas. As três estrelas mais importantes de Orion, Bellatrix, Betelgeuse e Rigel estão a 240, 520 e 900 anos-luz respectivamente e só vale apena visitar Bellatrix.
Peguei na TitanBock, desejei-lhes boa viagem e meti-me a caminho. Ainda tinha que regressar à Terra hoje...

20051106

Tou chateado, pois claro que estou chateado!!

Eh Pá!! Há limites para tudo!
Fiz-me recentemente sócio do Deimos Gravitabol Sport, uma das 12 equipas que fazem parte da MegaLiga Marciana de Gravitabol.
O Gravitabol é uma espécie de futebol terrestre, mas jogado numa gaiola fechada (nos primórdios deste desporto perdiam-se muitas bolas para o espaço exterior, devido, por um lado à fraca gravidade do planeta e, por outro, à falta de pontaria da maior parte dos jogadores), o que faz com que a bola esteja sempre em jogo, tornando-o mais interessante, quando comparado com as partidas da nossa Primeira Liga.
Ora, como estava a dizer, fiz-me sócio do Deimos GS, para poder assistir a uns joguitos da MegaLiga sempre que estivesse por Marte.
No two-month-stop da última missão tive a sorte de dar um salto a Deimos (para quem não sabe, é uma das luas de Marte), para assistir ao clássico Deimos Gravitabol Sport - Associação Recreativa e Cultural do Bairro Marineris, os dois primeiros classificados e crónicos candidatos ao título.
Pois a sorte acabou por aqui. Chegado a Deimos, demorei três horas para estacionar a porcaria da nave (a lua é pequena e o estádio ocupa quase 30% da sua área). Bem tentei fugir aos Mega Estacionadores Reais de Deimos e Arredores (os nossos arrumadores) mas não tive muita sorte e lá tive que largar a moedinha da ordem, para ver se não me riscavam a nave.
Depois, foi hora e meia a pé até ao estádio (sim, porque a nave ficou longe como tudo), para ter que esperar mais duas horas até conseguir entrar no recinto. Ao chegar ao meu lugar, deparei-me com um volumoso Centoguller Leptórido sentado à minha frente e que me tirava parte da vista para o campo. Que raiva!!
Depois, o jogo começou com 45 minutos de atraso porque os adeptos do DGS 'ameteoraram' (à falta de pedras, usa-se meteoritos) a nave do ARC Bairro Marineris e foi preciso a Polícia Montada intervir à bastonada.
Finalmente o jogo lá começou, já estava eu pelos cabelos com todos os atrasos e chatices.
A partida foi muito animada, pelo menos até ao intervalo. O resultado de 2-2 prometia uma segunda parte cheia de emoções fortes mas foi então que soou o alarme de chuva de meteoros! Não podia acreditar naquilo que estava a presenciar. Saí do meu estado de incredulidade quando a besta do Centoguller me caíu em cima e quase me esmagou debaixo do seu colossal peso. Ainda estou para saber como é que saímos dali, mas felizmente consegui escapulir-me rapidamente para a nave e regressar a Marte (Pudera, a malta estava com tanto medo de levar com um meteoro na pinha, que dispersou mais depressa do que demora a dizer "Gooooooooooooooooooollllllllloooooooo!!!!!!!!!!!!).
Fiquei a saber depois pela RTM (Rádio Televisão Marciana) que a segunda parte do jogo será repetida daqui a duas semanas, precisamente quando eu já estiver na Terra!! E ainda por cima, não há reembolso do valor do bilhete.
Acho que a partir de agora, Gravitabol, só na InfoVisão Interactiva...

É Domingo, vamos à feira

Vista da janela do quarto
O amanhecer na Lua é magnífico. Da janela do meu quarto vê-se a velha Terra, que daqui parece calma. Falta o chilrear dos pardais, mas não se pode ter tudo. Todos os Domingos realiza-se dentro da cratera de Copérnico uma das maiores feiras do Sistema Solar. Os preços são tão baixos como a gravidade. Vale apena, acreditem. Cuidado com o pessoal de Ganymede. Continuam na mesma e são dos melhores carteiristas que por ai há. Andam por todo o lado e há mesmo quem lhes chame Ganymédicos sem fronteiras...

Hoje mais para o fim do dia regresso a casa. A viagem é mais mais rápida devido à atracção gravítica da Terra, mas devido ao tráfego de fim de Domingo pode ser complicado. Ainda por cima ontem foi a entrega dos prémios MTVip (MTV inner planets) e isto estava Cratera de Copérnicocheio de VIPs. Desta vez escolheram a Lua para a cerimónia. O ano passado foi em Marte.

Na Feira de Copérnico, para onde vou já a seguir, é possivel encontrar de tudo. Nesta altura do ano, com a aproximação do Natal, é aproveitar e comprar os brinquedos para os miudos.

20051105

A contra informação


Fui passar este fim de semana à Lua. Um amigo tem cá um apartamento e é sempre retemperador... A gravidade é pouca o que ajuda a relaxar antes de uma viagem como a que vou fazer a Vénus. Ainda tive tempo para tirar uma foto à Terra.

Um dos directores da NASA informou hoje a imprensa que vão voltar à lua em 2018. Pura mentira, mas para desviar as atenções das missões que realizamos, quase secretas todas elas, é necessário.

Já agora, o melhor porco preto não é o alentejano, é o lunar. Especialmente o porco criado nas quintas do lado negro. Vou almoçar ali ao pé do Mar da Tranquilidade a um restaurante típico nesta preciosidade. Na Terra algumas febras chamam-se 'secretos' porque o segredo deve ser mantido. Quem chamou Mar de Tranquilidade àquilo, nunca lá esteve de noite. Bem movimentado por sinal e bem frequentado pela população feminima da lua. Bom local para engates lunáticos...

Terra, doce Terra

Felizmente que os maiores períodos de descanso são passados na cá na Terra.
Hoje consegui ver uma série documental (já em reposição em Marte) sobre os hábitos dos habitantes locais (de lá).
A vantagem de (re)ver a série aqui na Terra, foi poder saboriar um queijinho de Cabra vindo de Segura->Idanha->CasteloBranco->Portugal->Europa->Terra, mais um vinhito de Plutão (coisa plutentissima) , colheita do milénio passado.

Ficam alguns dados:

Segura-> freguesia do Concelho de Idanha-a-Nova

Área:73,76 km²
População:233 hab. (2001)
Densidade:3,2 hab./km² (Felizmente que há telefones, senão tinham que gritar muito)
Foto da população de Segura, junto à Torre, usando os novissimos fatos invisíveis, generosa oferta da junta de freguesia de Sobralsysde->Montagraçon->Plutão

Plutão->planeta mais distante do Sol (geralmente)
Diâmetro: 2.274 km
População:293 hab. (embora não conheça todos)
Massa: 1,27EE22 kg (penso que por habitante) No meu entendimento, é o género do PIB mas em $$ de lá
A qualidade da imagem foi propositadamente reduzida de modo a garantir a privacidade dos habitantes.

Já agora, e para quem não conhece Plutão, Sobralsysde fica lá para Noroeste do PalhumSea, zona muito parecida com os nosso Açores, mas em roxo; há aliás quem diga que Plutão e Charon são os corpos celestes mais açoreanos do nosso sistema solar) .

Embora a nossa Terra seja a nossa Terra, tenho saudades da boa gente de lá.
1 abraço

20051104

Alterações climáticas

No outro dia, à conversa com um amigo meu, fomos um pouco acusados de provocar alterações climáticas com os nossos voos. Que furamos constantemente a atmosfera, que sai o ar e o ozono e entram buracos negros e nitrofuranos e mais não sei quê.

Não sei qual a posição oficial da Companhia, mas não me parece que seja culpa nossa; no entanto assegurei-lhe que ia tentar sair sempre pelo mesmo buraco, preferencialmente no cento dum anticiclone(no hemisfério norte e depressão no hemisfério sul), até porque a rotação ajuda a saída.

Sem ter estudado muito o assunto, parece-me recomendável que a entrada se faça por outro buraco, e tipicamente com rotação inversa, para desenrolar os inércias.
Vou experimentar e depois digo qq coisa.

"Let the rotation be with you"

Compras em Vénus


Ahh, tanto que há a dizer da tasca do Verdugo... (pena a foto estar tão má) .

Em relação à roupa de lá, já não é o que era. É um pouco como a roupa das feiras, mais barata sem dúvida, mas só usas uma vez, depois lixo. Tem cuidado com isso.
Um abraço e boa viagem.

PS: Se estiveres com o Verdugo dá-lhe um abraço meu e combina uma jantarada; levamos os peixes ele dá as martatas.

Marte aqui vamos nós


Bem, parece que vamos todos para Marte. Telefonaram-me hoje das escalas e depois da próxima viagem, que é a Vénus, vou para lá. Podemos combinar uma pescaria juntos...

Esta foto é do Miradouro do Vale do Olimpo. É como quem sobe ao monte e antes do cruzamento para o topo vira à esquerda e desce. Logo a seguir na Tasca do Verdugo vira à direita e chega ao Miradouro. A cor da paisagem é um bocado igual ao resto do planeta, mas vale pela vista.

Já agora, parto para Vénus dentro de uma semana. Alguém precisa de roupa nova? Posso trazer qualquer coisa...

Fica para outra altura...

Pois já me tinham dito que aquilo em Marte agora estava fixe, que era um luxo. No inicio não havia lá quase nada para fazer (excepto beber as tais cervejitas). Na altura não achei muita piada aquilo.
Foi ainda antes da restruturação da companhia e pedi ao então REGINA (que também não era sabonete, era o Responsável Espacial da Gestão Integrada das Naves Activas) para sair de lá. Pelo que dizes, pode ser uma opção. Realmente já tenho saudades do Bodião.

Quando for a Saturno, vou aproveitar para pensar nisso (dá tempo). Vou lá ao tal barzito. Espero que ainda não tenham vendido os anéis...se tiverem , do mal o menos, vão-se os anéis mas fiquem as luas.
Tenho algumas recordações desse bar. Fica para outra altura...

20051103

Voos para Marte

Comecei recentemente a fazer os voos para Marte.
Andava já um pouco farto daqueles voos rotineiros para Mercúrio (não sei o que é que a companhia vê naquele planetazeco quente e feio para nos pôr de castigo a voar para lá...) e pedi ao DOVE (não, não é o sabonete, é o Director Geral de Operações de Voo Espaciais) para me mudar a escala.
Foi complicado falar com ele porque infelizmente a cobertura para os telemóveis em Io é fraca, por causa da grande tempestade vermelha de Júpiter (a última vez que lá estive fiquei com a nave toda riscada mas isso é outra história).
Ao fim de 6 meses (e porque ele veio como dead-crew noutro voo da companhia para poder começar mais um curso Ab-Initio de pilotos galácticos), lá lhe pude fazer o pedido, que foi aceite.
E pronto lá estou eu a voar para Marte, estadias de dois meses, hotéis de 5* e a vantagem de mesmo a malta que tenha a barriga mais arredondada, devido às cervejas de Úrano, poder fazer coisas realmente atléticas. Pudera, com a gravidade a metade do valor na Terra...
Recomendo a visita ao Olympus Mons, que, com 24km de altura, tem pistas de ski que até chateia.
O Valles Marineris também vale a pena visitar, seja para a pesca do Bodião Marciano ou para desportos aquáticos (jet-ski, remo, etc).
A quem estiver interessado, é só pedir alteração de escalas nas Operações.

Destino: Saturno

Mais um que sai da escala de Mercúrio. "Vais para Mercúrio que as viagens são curtas e as estadas são porreiras..." Está bem, está. Então agora nesse hotel é que não me apanham lá mais. Uma vez fiquei lá porque o outro estava em obras (tinha levado com uma erupção solar uns meses antes) e é de facto mau.

Já voo para Saturno à uns anitos e é dos melhores destinos no Sistema. Vê se apanhas uma rotação porreira que te dê para visitar as luas. Saturno tem 35 mas 4 ainda não têm nome. Tenta tirar umas fotos e manda lá para a secção de Cartografia e pode ser que deêm o teu nome a uma delas. Eu propunha Andradys...

Se fores a Calypso dá uma saltada ao Bar do Anel (toda a malta conhece) que tem uma vista para os anéis de Saturno e tem uns shots do caraças... Pede Calypsos com anel e não bebas mais de 3 (um pequeno aviso).

20051102

Não há paciência para voar para Mercúrio

Chegadinho hoje de Mercurio, e farto! Chega! Quero ver se me tiram da escala e volto para a escala de Saturno. Fica-se mais tempo longe da familia, são voos mais chatos, mas há melhores condições.
Em Mercurio, já não bastava o calor de dia (e o ar seco, até custa a respirar) e o frio de noite; agora também o hotel onde ficamos mudou e é mesmo no centro da cidade. Tenho aqui uma foto que tirei antes da mercuragem (pois é lá não há aterragens) . Vejam só o trânsito naquelas rotundas! e o hotel mesmo lá no meio...e os gajos são uns cromos a conduzir (são até conhecidos como os mercurocromos). Chiça, assim nem se consegue descansar!!! CHEGA!!

20051101

Ano Zero

Há 250 anos nesta data, Lisboa, o equivalente do sec. XVIII ao Cabo Canaveral do sec. XX, foi sacudida por um violento terramoto. Daqui a 250 anos, o mesmo facto fará 500 anos, mas comemorar-se-ão 250 anos sobre a inauguração do Blog dos PILOTOS GALÁCTICOS, este mesmo que agora estreio com este texto.

Pretende este espaço relatar as viagens surreais e encontros irreais em espaços igualmente improváveis. Com sentido metafórico ou não e até por vezes sem sentido nenhum...

O mundo em que vivemos é tão parvo que às vezes mais vale inventar outro. O que dissermos neste espaço ecoará pela eternidade, ou pelo menos enquanto o servidor durar...

Divirtam-se...